quarta-feira, dezembro 20, 2006

IRONIA ESQUIZOFRÉNICA

.
Aqui há tempos, ouvi, pela rádio, um médico, de elevada posição social, ditar um diagnóstico sobre determinadas entidades que, com certeza, não têm consciência da realidade do mundo em que vivem, não se dão conta que sofrem de “esquizofrenia”(disse ele). Os doentes que o clínico citou, um grupo de três , exemplares de uma vasta classe, intitulando-se "o Paciente Social" que, pelos vistos, se imaginam num mundo “fantástico”(termo muito em voga, hoje) em que tudo se ordena e resolve, pela prevalência do diálogo entre os elementos colaborantes, para o aclaramento e solução das questões de interesse público. Chamam a isso procedimento democrático.
.
Dissequemos com o bisturi de cirurgião os pressupostos que o levaram aquela sentença:
- “são esquizofrénicos” !
.
- O médico não é de competência psicológica e, actualmente, o seu múnus é, exclusivamente, de altíssima responsabilidade administrativa, merecendo a confiança de quase a totalidade de um povo que o elegeu, o que lhe vai muito bem com a sua eminente personalidade.
- Os indivíduos sentenciados pelo ex-facultativo, mostraram uma flagrante incoerência quando contestaram o aumento proposto das tarifas de recolha do lixo e das facturas da água. Só por um desvio patológico de suas mentes, podem pensar que as emblemáticas obras em curso, merecedoras do seu pleno e entusiástico acordo, se poderão concluir sem algum sacrifício dos munícipes, aliás, por elementar justiça , os mais directamente beneficiados.
- Já basta termos de lamentar o incumprimento da tal “intervenção fantástica” nas praias de Aver-o-Mar. Mas, o senhor Presidente , em “ocasião oportuna”, declarou, solenemente, que fará tudo o que prometeu ainda dentro do seu mandato. Por indesmentível mérito próprio, a sua reeleição acontecerá sucessivamente, ad aeternum , mas ia poder jurar que a promessa é para satisfazer dentro da sua actual etapa. Deo gratias !
- Finalmente, só por uma questão de deformação profissional, o que acontece a muito boa gente, o ex-médico levou à conta de sintomas os elementos considerados e, vai daí, o diagnóstico:
- São esquizofrénicos !

3 comentários:

Manuel CD Figueiredo disse...

Caro Professor Dimas Maio,

É uma delícia o seu texto "Hironia Esquizofrénica", que não pode ser obra de qualquer um porque requer especiais talentos e cultura: a escrita apurada e precisa, o discurso lógico e a imaginação vasta , tudo largamente alimentado por uma mordacidade implacável, de que são justos merecedores o género de "democracídeos" que dizem governar-nos.
A ironia, assim construída, é uma lança afiada que fere bem fundo (e o destinatário, por vezes cretino, nem disso se dá conta!).

Lamento que não tenha podido aceder ao meu endereço (mcdfigueiredo@hotmail.com), mas sabe que, por vezes, a ionosfera perturba a blogosfera. Mistérios.

Terei muito gosto em receber os textos que queira reeendereçar-me.

Os meus cumprimentos.

rouxinol de Bernardim disse...

Caríssimo professor:

Já tive oportunidade de dizer pessoalmente ao Arqtº Silva Garcia
que não pode ficar indiferente perante esta sistemática acusação.
É uma ofensa não só a si e aos seus correligionários mas também ao partido (PS) e a todos os que neles votaram.

De duas uma: ou são de facto esquizofrénicos (e aí o presidente terá que pedir um atestado a médico especialista - e não acredito que algum, em seu perfeito juízo, o faça), ou não são.

Nesta segunda opção - que é a verdadeira como todos nós sabemos -, trata-se de uma arma de arremesso de quem já esgotou o stock dos argumentos e em desespero recorre ao estulto insulto, para provocar dolo, ofensa, danos morais e espirituais.

Ora, de um juiz poveiro, ouvi isto: "não se pode chamar mentiroso a um mentiroso pois é ofensivo da sua honra e consideração, deve-se dizer que faltou à verdade".

Agora chamar "esquizofrénico" a quem o não é, é muito mais grave!

Por quê continuar a ser insultado desta maneira?

Os tribunais devem ser isentos e tratar toda a gente pela mesma bitola.

Para sua informação o juiz que disse o que atrás citei foi o Dr Eduardo Antunes.

BOM NATAL

Dimas Maio disse...

Caríssimo Comandante Figueiredo;:

Só por seu peculiar cavalheirismo,para não me ofender, reescreveu o meu erro ortográfico
HIRONIA ( com H). Mil perdões !