domingo, fevereiro 08, 2009

VANITAS VANITATUM

..
.................MANUEL ALEGRE
clclicar s/a imagem para ampliar

......Já neste blog , deixei esclarecida a minha apreciação sobre a conduta política desta, aparentemente complexa, personalidade. Disse, então, que não entendia como séria a sua exibidora acção de acentuado carácter idealista .
......A menos rigorosa definição de suas manobras será a de anomalias comportamentais, se entendermos como indefectível a sua integridade moral. E eu creio que, em sua consciência, não se obriga a ser impoluto no que toca aos seus movimentos de carácter político, porque, hoje, vai sendo de entendimento comum que, nesta arena, vale tudo.
......Não para mim e ainda para muitos que eu conheço, por terem aprendido a vida pela cartilha antiga . A probidade é um bem que não se aliena por nada e em circunstância alguma.
......Imagine-se que um ente querido de uma família, dela se descarta sem aparente motivo e converte, em si próprio, a afeição que o acolhia num sentimento contraditório que se consuma numa aliança a um declarado “inimigo” dessa família ?
......Em concreto, é esta a base da análise que me é dado fazer do comportamento daquele membro destacado do Partido Socialista:
......M.A. aliou-se ao BE que se manifesta visceralmente hostil ao PS e declara: “o nosso objectivo é retirar maioria absoluta ao PS”.
......Faz chantagem contra o partido do qual continua a afirmar-se distinto membro, fazendo sentir que aí tem um núcleo que lhe é inteiramente fiel e se movimentará segundo as suas directivas. Na AR há um pequeno grupo de mulheres que votam, com ele, contra o Governo e a favor das propostas dos partidos da oposição.
......Reiteradamente declara-se dono do milhão de votos que obteve nas presidenciais.
......O que verdadeiramente pretenderá M.A. ?
...... Ser o primeiro que nunca foi . Protagonizar a tal grande esquerda que o levará à Presidência da República. Para isso e por causa disso chantageia José Sócrates e tenta aliciar Francisco Louçã e , de caminho, agregar alguns dissidentes do PC.
......Só que, Sócrates não se renderá e duvido que Louçã se deixe ultrapassar no protagonismo da tal grande esquerda que, notoriamente, pretende para si.

7 comentários:

CÁ FICO disse...

E isso quer dizer o KÊ? concretize...

que a manela vai vencer o socrates?

rouxinol de Bernardim disse...

Permita-me que discorde um pouco consigo!

Votei em Alegre (para PR) e não estou arrependido. Nunca o ouvi dizer que era DONO de um milhão de votos!
Há, pois, manifesto exagero da sua parte, meu caro professor Dimas Maio! Como pedagogo sabe que meter palavras na boda de alguém é ética e deontologicamente criticável!
Mas há quem defenda outra tese:

Manuel Alegre está a tentar «fixar» eleitorado do PS- o descontente com Sócrates - para evitar que saia do próprio partido e se«fixe» fora da órbita socialista. Com o aproximar do acto eleitoral, e se se mantiver no PS, poderá ser de grande utilidade, contribuindo para fortalecer o partido, dando-lhe cariz mais plural, mais abrangente, menos monolítico!

O monolitismo, as baias partidárias, são como aqueles «óculos de Averomar», só os usam aqueles cuja voz não chega ao céu!

Honi soit qui mal y pense!...

Dimas Maio disse...

Aguarde a "sua" merecida resposta,caro Rouxinol!
Será breve, em tempo e em espaço !

Dimas Maio disse...

No meu post : "MANUEL ALEGRE - IDEALISTA OU DEMAGOGO." Novembro de 2008. Confirme-se a cópia:


rouxinol de Bernardim disse...
Meu caro professor Dimas Maio:

O dilema de Manuel Alegre é querer ter o apoio de toda a Esquerda e para tal não se importa de sacrificar a confiança nele depositada pelo maior partido de Esquerda, o PS, correndo o risco de perder «pau e bola»...
Não sou militante, mas se fosse sentir-me-ia incomodado por alguém que vive dentro do «hospedeiro» e o vai «parasitando» de forma sistemática sem se preocupar com os danos colaterais que provoca.
O espírito de grupo, a solidariedade, o espírito gregário começa no nosso «clã»; defender as «marcas» concorrentes, por sistema, indo contra a «marca» que lhe paga o vencimento, em qualquer ponto de vista é uma «traição».
Imagine-se que era um «vendedor de tintas». Pago por uma «marca» mas a elogiar as qualidades das «marcas» concorrentes...

Enfim, acho que ele já ultrapassou as «marcas» do bom senso e da honestidade intelectual.

Talvez ainda não seja um «troca-tintas», mas, por este andar, para lá caminha a passos largos...
19/11/08 07:35

Esta é a sua (des)merecida resposta.

Maintenaint,c'ést moi qui dt:
honi soit qui, hors de propos,prend l'offensive.

rouxinol de Bernardim disse...

Meu caro:

Essa 'reprimenda" teria cabimento se eu não referisse expressamente:
«há quem defenda outra tese...»

Mas, ambos sabemos que neste terreno movediço tudo é possível!

As duas teses podem estar em confronto na própria consciência de Manuel Alegre!

Ele pode estar a ver como «param as modas» e depois agir: ou fundando novo partido ou continuando no PS...

Se for para a formação de um novo partido (ou «fusão» com o BE) poderemos criticá-lo por oportunismo. Se essa tese não vingar e continuar no PS, então terá o meu aval.

Reconheço que é difícil julgar as pessoas e fazer processos de intenções.

Bem haja!

rouxinol de Bernardim disse...

Meu caro:

Hoje, dia de carnaval, sugiro que se mascare de Manuel Alegre, talvez sinta o fulgor da cidadania, o aroma da irreverência, o fascínio do não-alinhamento sectário...

Olhe que a minha máscara (colarinho branco) é bem pior!

Dimas Maio disse...

Caro Rouxinol:

O de que eu não,nunca, jamais, me mascararia era de traidor. E a patente da propriedade do termo referida ao sujeito é sua, meu caro passarinho, não lha quero roubar. Também não a usei, não uso, nem a usarei emprestada, fique descansado.
Dimas Maio