sexta-feira, fevereiro 01, 2008

D O U T A. S E N T E N Ç A

...............
...............(clicar sobre a imagem)
............((ver, em archives, post de 13 de Outubro 2007. "Guerras de Alecrim e Mangerona")

...........Não podia ser de outro modo:

"Estas pessoas sendo eleitas, não são intocáveis", sentenciou a juiza Maria Elvira Pinto Vieira.

E esclareceu : "o Direito não pode intervir sempre que a linguagem utilizada incomoda ou fere susceptilidades do visado. Só o pode fazer quando é atingido o núcleo essencial de qualidades morais que devem existir para que a pessoa tenha apreço por si prória e não se sinta desprezada pelos outros. Se assim não fosse a vida em sociedade seria impossível . E o direito seria fonte de conflitos, em vez de garantir a paz social , que é a sua função. "

Embora reconheça que "o modo de relacionamento é marcado por animosidade e, por vezes, na verbe utilizada, reina a indelicadeza de forma exagerada"

Quanto a mim, é aqui que está o busilis da questão: animosidade e indelicadeza de forma exagerada..

......Os políticos, por inerência dos cargos que ocupam, ou que pertendem ocupar, deveriam prezar um comportamento cívico paradigmático para que merecessem a credibilidade e a honra pertendidas pela sua posição social e a que os cidadãos corresponderiam de bom grado.
......Infelizmente, é a negação daqueles atributos o que acontece a todos os níveis da hierarquia do poder. Constata-se, a cada passo, uma luta sem dignidade, entre os oponentes: partidos ou pessoas. A par de uma demagogia fácil e verborreia incontida, acontece a ofensa gratuita, a reles insinuação ou a torpeza da espionagem da vida privada de cada um.
......É obvio que estou a falar da generalidade e a advertir que não cuido, em particular, do caso em questão.
......Aqui, intramuros, porquê estas guerras entre opositores que o deveriam ser apenas nas ideias ou concepções sobre o que mais ou melhor serve ao nosso concelho ? E, porque acredito, sinceramente, que é esse o móbil que a todos anima, discutam-se ou, se é então guerra que preferem, esgrimem-se com argumentos e vença, com leal acentimento de todos, o que realmente melhor se sai na contenda
.

2 comentários:

rouxinol de Bernardim disse...

Tem razão, professor. O poder absoluto identifica (no seu interesse) a crítica como se fora um insulto.

É claro que há insultos que não devem passar em claro. Mas este tipo de linguagem é normal em democracia.

Que dizer de Jardim?

«Mário Soares, esse grande aldrabão»!

Os socialistas, esses «energúmenos»!

«Estou-me cagando para a AR»!

Aquilo não é um político, é um VOMITÓRIO!!!

CÁ FICO disse...

Realmente o PSD não prima pela delicadeza quando se refere à oposição... ele é esqizofrénicos, bando deloucos e coisas do género...