quinta-feira, maio 01, 2008

MANIFESTO ANTI-CORPORATIVO

...................... .

Transcrevo um e-mail que me foi encaminhado por um anónimo, mas que tem todo o sentido e denuncia a situação real dos hospitais: a falta de médicos especialistas por culpa da "Ordem dos Médicos" , corporação cujas regras que, pretendendo ser fundamentalmente deontológicas, são exageradamente limitativas da acção dos governantes e, em consequência, dolorosamente prejudiciais para os cidadãos mais carenciado.

O recurso aos médicos espanhóis, tem sido uma constante em várias regiões do país. Haja em vista, por exemplo, o grande mérito do presidente da Câmara de Melgaço, neste particular.

" Olá Amigos e amigas:

Este E-mail foi-me enviado por um amigo que é médico. Mas já reformado.

Um abraço.

Espero que entendam bem porque é que existem listas de espera no que
concerne a operações de oftalmologia???

Em 6 dias um médico espanhol operou tanto como 5 !!! médicos portugueses num ano e por metade do preço cobrado na privada
Em seis dias, um oftalmologista espanhol realizou 234 cirurgias a doentes
com cataratas no Hospital Nossa Senhora do Rosário, no Barreiro, num processo que está a "indignar" a Ordem dos Médicos.
Os preços praticados são altamente concorrenciais, tendo sido esta a solução encontrada pelo hospital para combater a lista de espera. O paciente mais antigo já aguardava desde Janeiro de 2007, tendo ultrapassado o prazo limite de espera de uma
cirurgia.
No ano passado chegaram a existir 616 novas propostas cirúrgicas em espera naquela unidade de saúde. Os sete especialistas do serviço realizaram apenas 359 operações em 2007(cerca de 50 por médico num ano).
No final do ano passado, a lista de espera era de 384, e foi entretanto reduzida a 50 com a intervenção do médico espanhol.

A passagem pelo Barreiro durante o mês de Março - onde garante regressar nos próximos dois anos, embora o hospital não confirme - foi a segunda experiência em Portugal do oftalmologista José Antonio Lillo Bravo, detentor de duas clínicas na Extremadura espanhola - em Dom Benito (Badajoz) e Mérida. Entre 2000 e 2003 já havia realizado 1500 operações no Hospital de Santa Luzia, em Elvas, indiferente às "críticas" de que diz ter sido alvo dos colegas portugueses. "Eu percebo a preocupação deles e sei porque há listas de espera tão grandes em Portugal. É que por cada operação no privado cobram cerca de dois mil euros", diz ao DN o oftalmologista espanhol, inscrito na Ordem dos Médicos portuguesa, que cobrou 900 euros por cada operação realizada no Barreiro.

As 234 cirurgias realizadas no Barreiro, por um total de 210 mil euros, foi o limite possível sem haver necessidade de abrir concurso público internacional, sendo que o médico fez deslocar a sua equipa e ainda o microscópio e o facoemulsificador. O hospital disponibilizou somente um enfermeiro para prestar apoio.

HÁ QUE ACABAR COM A ( ... ) DA ORDEM DOS MÉDICOS E BAIXAR AS MÉDIAS DEMEDICINA E ABRIR NOVAS FACULDADES. ASSIM ACABA-SE , ( ... ) QUE SÓ PENSAM ... "
Nota : .uso as reticências para omitir termos algo agressivos

1 comentário:

rouxinol de Bernardim disse...

Às vezes, uso comas para enquadrar esta democracia...

Apetecia-me era usar RETICÊNCIAS!
Cordiais cumprimentos.