quarta-feira, janeiro 17, 2007

REFERENDO SOBRE A DESPENALIZAÇÃO DO ABORTO

O aborto é crime ? .

Julgo que há uma grande confusão acerca do referendo, sobre o votar sim ou não para a despenalização da IVG . Estou mesmo convencido que muita gente pensa que se trata de liberalizar, senão mesmo, preconizar o acto , não importa em que situações a grávida o deseje. E há muita hipocrisia a pretender sustentar este equívoco. Falaciosamente generaliza-se o que se pretende particular ou acidental .

A consulta posta ao povo esclarecerá objectivamente as situações em que a Lei não condenará a mulher que não vê alternativa para a dor de ter de se sujeitar a um acto de mutilação do seu próprio ser . Porventura, poder-se-á pensar que a infeliz não tem consciência do mal que a si própria causa? Será justo que ainda mais a humilhem com a exposição pública da sua “imoralidade” ?

Por princípio, a Lei é amoral. O acto imoral, nem sempre é crime. O religioso pode considerá-lo um pecado, mas não tem o direito de exigir ao secular que o puna com a vara da justiça .

Por outro lado, a hipocrisia excede-se na enormidade de declarar o aborto como um “acto terrorista” ou o absurdo da semelhança à imagem do enforcamento de “Saddam Hussein”

É de ciência generalizada que o aborto sempre se praticou e continuará a praticar, mesmo por quem hipocritamente se diz contra; só com a diferença de que, enquanto as ricas o fazem em clínicas luxuosas, até no estrangeiro, as pobres se sujeitam a fazê-lo, clandestinamente, em qualquer tugúrio, muitas vezes, sem as mínimas condições de sanidade, assistidas por curiosas que, frequentemente, lhes causam danos irreparáveis.

Finalmente, esclarece-se que o que está em causa não é se se é a favor ou contra o aborto, mas a favor ou contra a despenalização da interrupção voluntária da gravidez (IVG) até às dez semanas, em estabelecimento de saúde para tal autorizado.
E para quem propala “o direito à vida”, os cientistas de todo o mundo civilizado não reconheceram a existência de vida humana até às 10 semanas de gravidez.

3 comentários:

Manuel CD Figueiredo disse...

A confusão é ainda aumentada pela hipocrisia (e falsidades), vinda de vários sectores e de pessoas de destaque e com responsabilidades na sociedade. O ESCLARECIMENTO é fundamental, e a isso se deveria resumir a campanha; o povo, então esclarecido, decidiria sem pressões.
Choca-me e revolta-me (por ser católico) a posição tomada por alguns membros da Igreja Católica, apelando ao não, e de entre os quais destaco o Cónego (de Castelo de Vide?)que ameaçou com a excomunhão todos os que votem SIM ou que se abstenham. É a hipocrisia lavada com água benta...

CÁ 70 disse...

Caro Dimas Maio

Saúdo-o pela clareza e objectividade do seu post.
Afinal a hipocrisia e o cinismo continuam a ser os instrumentos de quem atrasa a História.

É preciso desmascarar a mentira: os defensores do SIM à alteração da Lei actual, não estão a estimular o aborto, mas a defender o ser humano que já o é: a Mulher!

J.J.Silva Garcia

rouxinol de Bernardim disse...

Caro professor:

Aqui respira-se PEDAGOGIA...

Et voilà...