terça-feira, outubro 03, 2006

MÁ TELEVISÃO OU IMPRENSA MERCANTILISTA


Cerca do meio dia e trinta, sexta feira, dia 29 de Setembro passado, liguei a televisão para o canal da TVI.
Faço-o, por vezes, não pelo (des)prazer do seu programa, àquela hora, mas sim pela curiosidade, ou mais pela informação que se impõe ao meu espírito colher, para uma análise, visando os aspectos
civilizacionais( positivos ou negativos)que aquele espectáculo possa transmitir à sociedade.

A minha observação, neste âmbito, não tem constatado outras influências que não sejam francamente negativas, não importa sob que ângulo se aponte a objectiva: recreativo, lúdico ou cultural.
Liguei e vi seis mulheres(1) e um homem sentados em semi-círculo a fazer “tricot” e a dar à língua . As mulheres são conhecidas, nestes espectáculos, mas confesso que não lhes conheço as graças ; O homem, era e tem sido, nem mais nem menos que, o apresentador Manuel Luís Goucha.

O meu desagrado por estes desconcertos do soalheiro tem ficado por uma revolta íntima e a escolha imediata de outro canal, à procura de um antídoto, para me depurar o espírito. Só que, desta feita, o nível da linguagem era de tal maneira baixo, de tal ordinarice que não me contenho calado e aqui, com quem hipoteticamente me lê – os meus amigos – procuro a compreensão para o meu desabafo:

Quando fiz a ligação, já não apanhei o tema da má-língua. Só pude ouvir algumas fortes obscenidades das quais registei a última, antes de mudar de canal:
Uma das mulheres pergunta a outra :
- “Se para viveres até aos cem anos tivesses de deixar de fazer sexo...”
- “Com homens deixava, mas há outras maneiras de o fazer...”

Note-se que não se trata de uma cena teatral com um sentido humorístico ou quejando, mas de uma comunicação para um público que não estará prevenido para tal desconchavo.

Alguma imprensa, tornou-se absolutamente instrumento mercantilista, esquece os valores da cultura e vale-lhe, tão-somente, aumentar as audiências à custa da ignorância dum povo para negociarem a publicidade.
Nota (1) : mulheres do soalheiro

1 comentário:

Carlos Ferreira disse...

Então e a outra? Em que quatro mulheres e "uma coisa" vestida de homem com gestos delambidos,passam toda a manhã a falar da vida alheia,em nojenta mexeriquice, autêntica conversa de soalheiro,num desfiar de futilidades que mais que empobrecer o espírito o embrutece ?!!!!