sábado, outubro 13, 2007

GUERRAS DE ALECRIM E MANJERONA

Esta peça, decalcada da de A.J. da Silva ( o Judeu) não satiriza a rivalidade entre ranchos carnavalescos (Alecrim e a Manjerona, no Bairro Alto) mas, o mesmo carnaval, entre facções políticas, na Póvoa de Varzim. Por isso, é para rir e não lamentar, como poderá parecer.
.
. .................................. ( clicar sobre a imagem)

Um cartaz jornalístico anuncia a peça político - jocosa em cena na Póvoa de Varzim :

"SILVA GARCIA ACUSADO DE DIFAMAR MACEDO VIEIRA E AIRES PEREIRA "

Ou, em outro, panfleto:

O “IDIOTA” ESTÁ A SER JULGADO

A peça, cuja intriga já é bem conhecida do público da Póvoa de Varzim e arredores, esteve em cena, há dias, num primeiro acto, com os actores principais a desempenharem bem os seus papeis O segundo acto terá lugar no próximo dia 29 de Outubro com mais actores em cena .
…………………………………………………………………………………………………….
Realmente, poderá levar-se a sério um julgamento que tem por base a acusação deduzida de uma expressão, que, erradamente, se diz atentatória da honra dum político, proferida por um seu antagonista” ?

Concretamente, “o Ministério Público pronunciou Silva Garcia por "dois crimes de difamação" contra Macedo Vieira já que entendia que a expressão “idiota” era atentatória da honra de Macedo Vieira e Aires Pereira que se constituíram assistentes na acusação"

Vejamos a frase em que se insere o termo idiota:

Do Porto a Valença todos os autarcas têm reagido em defesa dos interesses dos seus cidadãos : independentemente dos partidos políticos a que pertencem , estão todos contra as portagens na IC1/A28 ! Na Póvoa , o PSD de Aires Pereira e o Presidente da Câmara Macedo Vieira põem o interesse dos poveiros em segundo plano . Manejam de forma idiota o princípio neo-liberal do utilizador – pagador e querem que todos paguemos portagens. "

Consideremos a expressão face ao idioma português:

Alteremos a frase : Manejam de forma idiota o princípio neo-liberal … , para : é uma idiotice a forma como manejam o princípio neo-liberal ….
Há alguma diferença, em substância ? No entanto, não dava para queixinhas, ou dava ?

Se eu disser : julgo que o promotor desta acusação cometeu uma asneira , estarei, por ventura , na intenção de chamar –lhe asno, mesmo sabendo que asno é a palavra a que se junta o sufixo eira para formar a nova palavra asneira ?

Então? Só o asno faz asneiras ? Só os idiotas, manejam de forma idiota , ou cometem idiotices ?

Quem, alguma vez, não disse para com os seus botões, quando ,em dado momento, reconhece que cometeu um erro : grande idiota que eu sou !

Quando muito, a expressão em causa poderá ser considerada um insulto, dos mais frequentes em banais altercações e, até entre amigos, sem consequência. Mas nunca, por nunca, uma difamação!
Este queixoso esqueceu-se que, não vai assim muito tempo, apelidou, aquele que conseguiu tornar réu, de esquisofrénico. Foi mais suave, porventura , esse insulto?
Difamar, na riqueza do nosso idioma, é caluniar , é ignominiar, como, por exemplo, apelidar de corrupto,vigarista; inventar acerca de alguém histórias ou condutas ignominiosas.

Finalmente, quem não tem assistido, na Assembleia da República, a esta troca de mimos entre os depotados e a ver qual deles é o mais mordaz para com o seu ou seus antagonistas. ( vd. indignidades políicas, arq. Março Abril, neste blog )

3 comentários:

rouxinol de Bernardim disse...

CONCLUSÂO FINAL:

O "idiota" (refiro-me ao termo, não a quem quer que seja) deveria, em obediência ao princípio do utilizador-pagador, pagar do seu próprio bolso esta "entrada na autoestrada da justiça!"

Anónimo disse...

Professor, não perca:

sol.sapo.pt/blogs/ramodebarro

Post recente.

Carlos Ferreira disse...

Meu caro Dimas
Infelizmente o meu tempo é sempre muito escasso por efeito das diligências a que me vejo obrigado para manter o GARATUJANDO com a regularidade necessária, conservando a variedade de temas e imagens que o caracteriza.

Mas sempre que me é possível faço uma visita aos teus dois blogues não só pelo mérito que intrinsecamente têm, mas porque são teus e admiro, de forma incondicional, a oportunidade dos assuntos que tratas e a forma como os expões.

É o caso do assunto que tem por tema a palavra "Idiota".
Não vou comentar o assunto em si mesmo.
Mas não quero deixar de te dar um abraço pela forma clara e racional como expões o teu reciocínio acerca do termo, do seu significado e das "nuances" que teces em volta da palavra.
PARABÉNS.